Textos


Alcorão


A Sunnah


Ditos Do Profeta (sws)


Jesus no Islam


Porugués


 

 

 

 

 

 

 

 

Sunnah

A Sunnah pode ser definida como o conjunto de ditos, atos, concordâncias e descrições físicas e morais do Mensageiro de Deus.
A Obrigação de Se Obedecer ao Profeta Muhammad
Como vimos anteriormente, o Alcorão nos mostrou a função do Mensageiro e a sua obrigação em relação à mensagem e nos mostrou, também, que tudo o que ele diz é fruto de revelação divina.
Diz Deus, o Altíssimo, Surata os Poetas versículos 192 à 195:
"Certamente, (este Alcorão) é uma revelação do Senhor dos mundos. Com ele desceu o Espírito Fiel, Para o teu coração, para que sejas um dos admoestadores, Em elucidativa língua árabe."
E diz, ainda, Surata as Abelhas versículo 44:
"E a ti revelamos a Mensagem, para que elucides os humanos a respeito do que foi revelado, para que meditem."
E diz também Deus, o Altíssimo, na Surata A Estrela versículos 3 e 4:
"Nem fala pôr capricho. Isso não é senão a revelação que lhe foi revelada."
E diz Deus o Altíssimo, na Surata A Família de Imram versículo 164:
"Deus agraciou os crentes, ao fazer surgir o mensageiro da sua estirpe, que lhes ditou os Seus versículos, redimiu-os, e lhes ensinou o Livro e a Sabedoria, embora antes estivessem em evidente erro."
Outros versículos são mais claros ainda, ao se referirem à obrigatoriedade de se obedecer ao Mensageiro (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele).
Diz Deus, o Altíssimo, na Surata O Desterro versículo 7:
"Aceitai, pois, o que vos der o mensageiro, e abstende-vos de tudo quanto ele vos proíba."
E diz Deus o Altíssimo, na Surata A Família de Imram versículo 132:
"Obedecei a Deus e ao Seu mensageiro, a fim de que sejais compadecidos."
E diz Deus o Soberano, na Surata As Mulheres versículo 80:
"Quem obedecer ao mensageiro obedecerá a Deus."
E diz Deus o Eterno, na Surata a Família de Imram versículo 31:
"Dize: Se verdadeiramente amais a Deus, segui-me; Deus vos amará e perdoará as suas faltas."
O Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), certa vez disse:
"Deixei com vocês duas coisas que, se vocês se apegarem a elas, jamais se desviarão: o Livro de Deus e a Sunnah do Seu mensageiro."
O Compilamento da Sunnah
Os sahabas tinham um convívio diário com o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele).
Nesse convívio, eles esclareciam as suas dúvidas e buscavam aprender o máximo acerca do Islam. E o comportamento do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), era um foco de grande importância para os sahabas, pois esses tinham no Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), o exemplo máximo, obedecendo à convocação de Deus, que diz na Surata Os Partidos versículo 21:
"Realmente tendes no mensageiro de Deus um excelente exemplo a ser seguido."
A Sunnah não foi registrada da mesma forma que o Alcorão. No inicio, o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), proibiu que se fizessem registros escritos dos ahadith , para evitar que as pessoas misturassem o Alcorão com a Sunnah, pois muitos ainda não conseguiam diferenciar entre ambos.
Pode-se acrescentar a isso o fato de que poucos eram os materiais de escrita na época e poucos eram os que sabiam escrever e esses poucos dedicavam-se a registrar o Alcorão.
Nessa primeira fase, a preservação da Sunah se deu através da memorização. Passada essa primeira fase, o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), permitiu que se fizessem registros escritos da Sunna e, entre esses, podemos citar as páginas de Abdullah Bin Amr Bin Al Ass, chamada Assadika (a verídica).
O texto que o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), ordenou que se escrevesse, e que tratava das relações entre os habitantes de Madina, os Muhajirin , os Ansar , e os judeus, que entravam em acordo com eles, e as cartas enviadas pelo Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), aos líderes da época, como os imperadores da Pérsia, de Bizâncio, da Abissínia, do Egito, entre outros, e os tratados acerca das caridades, do testamento, além de registros feitos pôr Abu Bakr, Umar e 'Ali (que Deus esteja satisfeito com eles).
O Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), ordenou que os seus companheiros passassem adiante o que lhes era ensinado. Disse Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele):
"Que os presentes façam chegar (os ensinamentos) aos ausentes."
E disse:
"Divulguem pôr mim, nem que seja um versículo."
E advertiu com um castigo severo aquele que mentisse a seu respeito, dizendo:
"Aquele que mentir propositadamente a meu respeito, que prepare o seu assento no inferno".
Isso brotou nos sahabas um enorme senso de responsabilidade. E, como havia diferentes níveis de conhecimentos dentro do grupo dos sahabas em relação ao hadith, esses só se pronunciavam quando tinham plena certeza.
Podemos citar alguns casos, como pôr exemplo: disse Abdullah Bin Zubair a seu pai:
"Eu não lhe ouço falar os ahadith como o faz fulano e fulano"
Então, disse seu pai:
Eu não desgrudava do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), só que eu ouvi ele dizer:
"Aquele que mentir a meu respeito, que prepare o seu assento no inferno."
Costumavam pedir a Zaid Bin Al Arkam que falasse alguns ahadith, então ele dizia:
"Envelhecemos e esquecemos. E falar ahadith do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), é algo de grande responsabilidade.''
Já Abu Huraira, Ibin Abass, Aicha e Abdullah Bin Umar, entre outros, relataram uma quantidade enorme de hadith.
Com a expansão do Islam, muitos sahabas se espalharam, a fim de levar o conhecimento do Islam a outras regiões, e pôr isso, muitos sahabas viajavam para se certificar de que fulano realmente ouviu do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), determinado hadith, que ele ouvira pôr intermédio de terceiros.
Ou para confirmar um hadice que ele ouvira do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), e que ele lembrava estar fulano presente no momento em que ele ouvira tal hadith.
Essas viagens, às vezes, duravam meses, como o fez Jabir Bin Abdallah, que viajou um mês inteiro até Damasco, a fim de confirmar um hadith que ele não ouvira do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), e como o fez também Abu Ayub Al Ansari, que viajou de Madina ao Egito, a fim de confirmar um hadith com Ukba Bin Amir, pois não sobrara ninguém dos que ouviram tal hadith além deles dois.
Esse hábito de viajar em busca de hadith, foi absorvido também pêlos grandes Tabiin , como Said Bin Al Mussaib, Hassan Al Bassri, entre outros.
A partir do ano 40 Hégira, algumas pessoas começaram a inventar hadith, a fim de apoiar as suas idéias e os seus interesses. No início eram poucos os ahadith inventados, pois ainda haviam os sahabas e os grandes Tabiin, que eram conhecidos pelo temor a Deus, pela honestidade, pela religiosidade e pelo conhecimento e que não permitiam que um hadith inventado se espalhasse, pois eles o reconheciam e o desmascaravam.
Eles tinham uma grande preocupação com o Isnad (cadeia de transmissores), e não aceitavam um hadith sem Isnad (cadeia de transmissores), a não ser que fosse transmitido pôr um sahabi. Pois Deus, no Alcorão Sagrado, e o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), testemunharam a cerca da honestidade deles, em vários versículos e ahadith, além do testemunho da história.
A partir daí, criou-se uma verdadeira ciência, a fim de se certificar da autenticidade dos ahadith, como veremos mais adiante.
Após esta fase, temos a época da compilação dos ahadith, alguns desses foram compilados na forma de Massanid, na qual se compilavam os ahadith de acordo com os transmissores de dentre os sahaba, sem se preocupar com os temas abordados.
Pôr exemplo, pegava-se todos os ahadice narrados pôr Abu Huraira e os colocavam todos juntos. Entre essas compilações, o mais conhecido é o Musnad do Imam Ahmad.
Outros foram compilados na forma de Jauami e Sunan, na qual se fazia a compilação baseada nos assuntos. O capítulo do conhecimento, pôr exemplo, colocava-se, então, todos os ahadith existentes sobre esse tema.
Entre eles, os mais conhecidos são o Sahih do Bukhari (que e o livro mais verídico, depois do Alcorão), o Sahih do Muslim (que se iguala ao Sahih do Bukhari em veracidade), os Sunan de Abu Daud, Tirmizi, ibin Maja, Nassai e a Muataa do imam Malik .
O Que Motivou a Invenção de Hadith?
As diferenças políticas que tiveram início com a fitna (intriga) no califado de Uthman, a inimizade em relação ao Islam, o apego exagerado à tribo, a região a que pertencia, a língua, o líder, as divergências em relação ao entendimento das leis, a ignorância em relação ao Islam, junto com a vontade de fazer o bem, a vontade de se aproximar dos reis e imperadores, através de opiniões que dessem suporte aos seus caprichos, e a utilização de estórias, a fim de orientar as pessoas, sem que houvesse uma preocupação em relação à veracidade do que estava sendo dito, todos esses fatores contribuíram para que se começasse a invenção de hadith.
O Empenho Em Se Reprimir Esse Movimento
A fim de fazer frente a essa nova situação, que ameaçava a preservação dos ensinamentos proféticos, os sábios muçulmanos criaram verdadeiras ciências, que tinham pôr objetivo separar o joio do trigo.
Entre essas ciências, encontram-se a ciência do Mustalah Al Hadiss, que é a ciência que analisa o Matin (texto) e o Isnad, pôr meio de leis e bases que visam a separar o hadith autêntico do falsificado; a ciência do Jarh Ua Taadil, que é a ciência que faz uma análise do comportamento, do caráter e das características de cada membro de qualquer Isnad.
Seja para mostrar que não se pode pegar o seu hadith, pôr ser ele um mentiroso, ou pôr ele não ter boa memória, ou pôr ele ser uma pessoa displicente entre outros, ou para mostrar que se pode pegar o seu hadith; pôr ser uma pessoa confiável, de boa memória entre outros; e a ciência do Tarajim Arijal, que é a ciência que analisa minuciosamente a biografia de todas as pessoas que tenham aparecido em qualquer Isnad.
Analisando a época em que elas viveram, os seus contemporâneos com os quais elas pudessem ter-se encontrado, entre outras. A preocupação de se conhecer o transmissor, a fim de se certificar da autenticidade da Sunah, teve início com os pequenos sahabi
Divisões do Hadith de Acordo Com a Aceitação ou a Rejeição do Mesmo
Vejamos agora, de maneira sucinta, as classificações dos ahadith:
A) Hadith Sahih (verídico) - é aquele cujo Isnad se encontra completo, cujos membros do Isnad sejam todos justos precisos e que não seja chaz e nem mualal .
B) Hadith Hassan (bom) - é aquele que se encaixa em todas as condições do Sahih, com exceção da precisão, é intermediário entre o Sahih e o Daif (fraco).
C) Hadith Daif (fraco) - é aquele que não se encaixa nos critérios do Sahih, e se dividem em:
1 - Mualak - Aquele em que se encontra oculto um ou mais transmissores do início da cadeia.
2 - Murssal - Aquele em que o tabii relata diretamente do profeta, sem citar o sahabi que transmitiu o hadith.
3 - Muudal - Aquele em que se encontra a omissão de dois ou mais transmissores consecutivos.
4 - Munkatii - Aquele em que se encontra a omissão de um ou mais transmissores (sem que esse seja um sahabi), sem que no entanto sejam consecutivos.
5 - Mudalasi - O Mudalasi se divide em dois:
a ) Tad'lici al Isnad - é aquele em que um transmissor, omite quem lhe transmitiu e se refere apenas à pessoa que lhe transmitiu.
b ) Tad'lici Achuiukh - é aquele em que o transmissor se refere à pessoa que lhe transmitiu ou pôr um apelido, ou pelo sobrenome que é pouco conhecido.
6 - Murssal Khafi - é aquele cujo transmissor diz ou insinua ter ouvido de uma pessoa cujo encontro não é comprovado.
7 - Maudu - é aquele hadice que foi inventado.
8 - Munkar - Aquele cujo transmissor não é confiável pôr errar muito, ou pôr ser distraído entre outros.
9 - Mualal - Aquele cujo transmissor cometeu algum erro na hora de transmitir o hadice, como pôr exemplo acrescentar partes imaginando que essas fazem parte do mesmo.
10 - Matruk - é aquele cujo transmissor é conhecido entre as pessoas como mentiroso, ou cujo hadith vai contra os princípios da religião.
11 - Mudrij - Aquele cujo transmissor narra determinado hadith e muda na seqüência de transmissores, colocando no lugar dos que lhe transmitiram esse ahadith, outros que lhe transmitiram um outro hadice; ou que ouve uma parte do hadith de um transmissor direto e o restante do hadith de um intermediário e que omite esse intermediário na hora de transmitir o hadith; ou que relata um hadice e acrescenta parte de outro hadith, sem, no entanto, indicar que esse acréscimo não faz parte desse hadice; ou que relata um hadith sem conhecer toda a seqüência de transmissores e na hora de relatar ele acrescenta pessoas de uma outra seqüência de transmissores do qual ele faz parte, a fim de completar a seqüência.
12 - Maklub - Aquele em que o transmissor inverte as palavras do hadith, de modo a modificar o seu significado, ou inverte o nome do transmissor, ou troca um transmissor pôr outro.
13 - Mazid Fi Mutassil al Isnad - Aquele em que se acrescenta um transmissor que não faz parte da cadeia.
14 - Mudtarib - Aquele cujo transmissor narra o mesmo hadith de maneiras diferentes, ou aquele em que vários transmissores narram o mesmo hadith de maneiras diferentes.
15 - Mubham - Aquele cujo nome de um dos transmissores não é especificado, como pôr exemplo: Ouvi de um pessoa confiável, ou ouvi de meu professor, etc.
A tradicão (sunnah), do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de deus esteja m sobre ele), os companheiros (sahabas), obsevaram, memorizaram e escreverão a tradição, que foi ditada ou práticada pelo próprio Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de deus esteja m sobre ele), três séculos depois da morte do Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de deus esteja m sobre ele), uma grande biblioteca de dito(hadith), com suas explicações, foi formada, além de uma biográfia feita pelos narradores desses ditos(ahadith).
"Realmente tendes no mensageiro de Deus um excelente exemplo a ser seguido."
(Alcorão Sagrado Surata Os Partidos versículo 21)

inicia